Ciclistas fazem protesto por mais ciclovias em Salvador

E-mail Imprimir PDF

fafd

A ausência de ciclovias e a falta de estrutura das que já existem na cidade foram alguns dos motivos que impulsionaram cerca de 700 ciclistas da Bahia a realizarem um protesto, na manhã deste domingo (01). Cada um dos ciclistas doou um quilo de alimento que ajudará instituições de caridade.

A manifestação já ocorre desde 2003 - em todo 1º domingo do mês - e visa chamar a atenção do poder público sobre os problemas enfrentados pelas pessoas que utilizam a bicicleta como meio de transporte em Salvador.

'Nós só temos 15km de ciclovia em toda a cidade e apenas na orla marítima. Precisaríamos de cerca de 200km para comportar as mais 20 mil pessoas que utilizam a bike por aqui', comentou o presidente da Associação dos Bicicleteiros do Estado da Bahia (Asbeb), Maurício Cruz.

Para a associação, é preciso haver ciclovias em, no mínimo, três trechos da cidade: São Cristováo/Iguatemi, Iguatemi/Estação da Lapa e Calçada / Paripe.

Durante toda a manhã os participantes percorreram 27km, passando pela av. Bonocô, Vale do Ogunjá, Vasco da Gama, largo dos Barris, Centenário, Shopping Barra, Rua Frederico Schimittt, Marquês de Caravelas sentido orla, Rio Vermelho, Amaralina, Pituba, com uma parada no antigo clube Português, av. Otávio Mangabeira, Rio Vermelho, Rua Conselheiro Pedro Luis, Vasco da Gama, Dique do Tororó.

Título original: "Ciclistas fazem protesto por mais ciclovias na capital"

Retirado de http://correio24horas.globo.com/noticias/noticia.asp?codigo=20051&mdl=29 em 03/03/09. Foto de http://ruaviva.blogspot.com/2007/09/salvador-vamos-ocupar-o-lugar-que-dos.html


asdfCiclistas não têm estrutura para trafegar nas ruas da cidade

Promessa de campanha do prefeito João Henrique, o investimento no transporte cicloviário de Salvador caminha a passos lentos. Na prefeitura, dois projetos de ampliação da rede, iniciados em meados de 2007, estão em fase de estudos preliminares, sem previsão de execução e sem definição de custo.

Os projetos estão sendo elaborados pela Fundação Mário Leal Ferreira, ligada à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano, Habitação e Meio Ambiente (Sedham). Segundo a presidente da fundação, Vilma Lage, ainda não foi definido quanto será investido: "Ainda são anteprojetos, estão em fase de estudos preliminares".

Em 12 de outubro do ano passado, João Henrique anunciou que a Superintendência de Trânsito e Transporte, a Transalvador - nova autarquia municipal responsável pelo trânsito e transporte da capital, que resultou da fusão da SET e da STP - iria priorizar o fluxo de bicicletas.

Até o momento, na Transalvador - em fase de transição desde sua criação, em 1º de janeiro -, o transporte cicloviário é assunto morto. O A TARDE procurou o superintendente, Ernani Orrico, o diretor-executivo de Transporte, Matheus Moura, e o secretário municipal de Transporte e Infraestrutura, Almir Melo, para falarem sobre os planos para as bicicletas. A Diretoria de Trânsito, que equivale à antiga SET, ainda não tem um titular, porque o prefeito não nomeou o gestor.

Orrico não concedeu entrevista, avisando por assessores que estava organizando o operacional do novo órgão - processo que só teve início na última semana. Matheus Moura afirmou que, por não ser transporte público coletivo, a bicicleta não era assunto da sua alçada, mas do diretor de Trânsito, que informou que a prefeitura pretende ampliar a rede cicloviária em 11,6 km "em área do município". Não foram informados os trechos. Almir Melo, via assessoria de imprensa, disse que os projetos estavam a cargo da Sedham.

A fundação pretende construir ciclovias na Av. Paralela e na Av. Bonocô. Conforme o subgerente de projetos urbanísticos, Túlio Prado, para tornar os anteprojetos em projetos executivos faltam procedimentos mais detalhados, como o georreferenciamento das áreas, cujo cronograma não foi definido.

Na Bonocô, seria usado o canteiro central por onde passa o elevado do metrô, para 4 km de ciclovias (com 2,4 a 3 m de largura), toda extensão da via. Na Paralela, a pista de 2 km seria ampliada em mais 10 km, até a Rótula do Aeroporto e o Hospital Sarah. Nas duas avenidas, a proposta inclui, além de ciclovias, a instalação de quiosques, bicicletários, equipamentos de ginástica, pista de patinação e rampa de skate, moldes do que foi feito na Av. Centenário. Segundo Túlio Prado, o custo será menor que na Centenário (R$ 28,5 milhões).

"Não precisa de drenagem, por exemplo. O custo-benefício é muito bom", disse o gestor.
Associação - Uma política pública voltada para a bicicleta como meio de transporte é reivindicação antiga da Associação dos Bicicleteiros da Bahia (ASBB), que desde sua criação, há dez anos, luta pela ampliação da rede. O presidente, Gilson Cunha, lembra de projetos que chegaram a ser enviados à antiga Secretaria de Planejamento Urbano: "Projeto para criação de uma ciclovia ligando Piatã ao aeroporto, nunca saiu do papel".

Salvador conta hoje com uma das menores redes do País, com 16 km. Os dois projetos existentes não contemplam a integração das bikes ao sistema público, tendência em cidades europeias e latinas, inclusive brasileiras. Em São Paulo, o metrô tem um vagão com espaço para os usuários embarcarem as bicicletas.

A proposta da prefeitura é tímida ante projeções de cidades como São Paulo, que pretende implantar 900 km até 2018, e o Rio, que quer construir malha equivalente à paulista. Em Porto Alegre, estão previstas ciclovias ou ciclofaixas em 495 km de ruas e avenidas. Em Belo Horizonte, discutem-se projetos para seis ciclovias, que dobrarão a rede, chegando a 80 km de pistas.

Retirado de http://www.atarde.com.br/cidades/noticia.jsf?id=1057747 em 03/03/09.

 

Última atualização ( Seg, 27 de abril de 2009 13:53 )  

Comentario 

  1. #2 Lucia Saraiva Write e-mail
    2010-09-0108:55:30 Bem existem dois passeios de bicicleta que sua tia pode participar
    1º Pedal da Lua que acontece no Parque de Pituaçu a noite, porém como a ciclovia está bastante acidentada, talvez no momento não fosse prudente, mas tem familias que participam e é um pedal leve, onde vai enfermeira, policia, carro de apoio, enfim vc pode verificar no site citado abaixo deste. Tem também o Pedal da Asbeb, uma vez por mês geralmente no primeiro domingo de cada mês (em setembro será dia 12/09, dá p ela ir) pois a média de velocidade é de 10k.

    Cicloabraços, Lucia Saraiva - Coordenadora dos Amigos de Bike em Salvador.
  2. #1 Virginia Pereira Lim Write e-mail
    2010-05-0211:53:12 Gostaria de saber o que é preciso fazer para efetuar a inscrição entre os bicicleteiros de Salvador; também pergunto se há alguma programação específica para os da "quase" terceira idade que adoram pedalar!!! Tenho uma tia que gosta do ciclismo e se houver alguma programação de passeio ela gostaria de participar. Agradeço a informação.

Adicionar comentario

:D:lol::-);-)8):-|:-*:oops::sad::cry::o:-?:-x:eek::zzz:P:roll::sigh:
Bold Italic Underlined Striked Quote


Codigo de seguranca
Atualizar

Canais

Ferramentas

On-line

None

Patrocinador

Banner

Parceiros

Publicidade

Banner