ViaCiclo solicita inclusão da bicicleta em projetos viários de Florianópolis

E-mail Imprimir PDF

indicacao_obras_trevo_setaNo mês em que Florianópolis realiza o "I Fórum das Américas sobre Mobilidade Urbana nas Cidades" (http://3.ly/DPv3), a ViaCiclo protocolou quatro requisições ao poder público municipal.

A primeira requisição inicia lamentando que o poder público esteja oferecendo um estímulo ao uso do automóvel particular ao construir 800 vagas de estacionamento subterrâneo no centro da capital (ver matéria em http://3.ly/Ovrn), apesar das constantes declarações de que a prefeitura está se empenhando em aplicar medidas para mudar o modelo de transporte (veja algumas dessas declarações em http://3.ly/N5N).

Enquanto essas medidas não vêm, a população vai abandonando cada vez mais o transporte coletivo: em 2009 diminuiu 4% o número de passageiros transportados pelo transporte coletivo (conforme relatório apresentado ao Conselho Municipal de Transportes em 03/03/10); outro fato que ilustra o caos que a automovelcracia provoca está no Sul da Ilha: passageiros descem dos ônibus no congestionamento da SC 405 para continuar a viagem mais rapidamente: a pé (ver fotos em http://3.ly/MkwJ).

Em se concretizando o projeto de "Requalificação" do Largo do Mercado Público e da Praça dos 3 Poderes, a ViaCiclo solicita a instalação de bicicletário para 120 bicicletas, o que representa 15% das vagas ocupando modestos 2,4% da área total; essa melhoria representará um incremento de 12.000 % na oferta de vagas de estacionamento público para bicicletas na cidade, que no momento corresponde a 0 (zero) vagas; complementando o Ofício 007/10 (disponível em http://3.ly/H2ln), a ViaCiclo solicita que o estacionamento seja subsidiado diretamente pelos proprietários de automóveis, tornando o estacionamento de bicicletas gratuito.

Outras duas requisições são reiterações, haja vista a ausência de respostas às requisições formuladas em janeiro (ver matéria em http://3.ly/Hkm8): a construção de uma passagem provisória, mas de boa qualidade, no canteiro de obras do Elevado da Seta (Ofício 005/10, disponível em http://3.ly/AxD4), permitindo que ciclistas e pedestres tenham acesso à Ciclovia da Via Expressa Sul; e a construção de ciclovia e de calçada acessível a pessoas com deficiência em todo o entroncamento viário do Trevo da Seta, que se tornará mais adensado e perigoso após a conclusão do elevado e excluirá ainda mais a mobilidade ativa (Ofício 006/10, disponível em http://3.ly/THU2).

Para a ViaCiclo, os custos da ciclovia no local não ultrapassam 3,4% do valor gasto com o elevado (orçado em 11,5 milhões), trazendo benefícios duradouros: segurança e estímulo ao uso da bicicleta - uma demonstração de respeito à dignidade dos mais vulneráveis no trânsito (veja fotos do local e reportagens jornalísticas em http://3.ly/buf).

Segundo o Diretor Administrativo da ViaCiclo, André Geraldo Soares, estas solicitações são da própria sociedade, demonstradas mais recentemente nas propostas elaboradas nas reuniões do Plano Diretor Participativo (veja as propostas em http://3.ly/rVxA). As solicitações acima foram protocoladas no Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis - IPUF, na Secretaria de Obras, na Secretaria de Transporte, Mobilidade e Terminais e na Frente Parlamentar pela Mobilidade Urbana da Câmara Municipal.

Uma última solicitação é o encaminhamento de uma denúncia, efetuada por um munícipe no serviço de Denúncias da instituição, de um buraco na Ciclovia ao lado da Udesc, resultado das obras da Celesc.

 

Por André Geraldo Soares (ViaCiclo)

 

Última atualização ( Seg, 08 de novembro de 2010 10:56 )  

Adicionar comentario

:D:lol::-);-)8):-|:-*:oops::sad::cry::o:-?:-x:eek::zzz:P:roll::sigh:
Bold Italic Underlined Striked Quote


Codigo de seguranca
Atualizar

Canais

Ferramentas

On-line

None

Patrocinador

Banner

Parceiros

Publicidade

Banner